Programação

 

Confira os detalhes da Programação

 

Dia 01/09 – Terça-Feira – 9:00

Pré-evento

Minicursos: Confira relação clicando aqui.

 

Dia 01/09 – Terça-Feira – 13:00

Mesa de Abertura

 

Dia 01/09 – Terça-Feira – 13:30
Conferência 1

Sinais de humilhação social e o problema de sua interpretação

José Moura Gonçalves Filho (USP)

Graduou-se em Psicologia na Universidade de São Paulo (1986). Na mesma universidade, realizou mestrado (1995) e doutorado (1999) em Psicologia Social. Seu tema persistente de investigação corresponde ao que tem designado como humilhação social ou humilhação política. Atualmente é Professor Doutor no Departamento de Psicologia Social e do Trabalho da Universidade de São Paulo.

Dia 01/09 – Terça-Feira – 17:00
Mesa-redonda 1
Romper práticas medicalizantes: um desafio para educação

 

Rosa Soares Nunes (Universidade do Porto)

Professora aposentada da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da  Universidade do Porto, Portugal; Fundadora do Círculo de Estudos e Intervenção na Medicalização da Educação (CEIME); Vice-Presidente do Instituto Paulo Freire de Portugal; Investigadora do Centro de Investigação e Intervenção Educativa (CIIE) da FPCEUP; Associate Editor da Revista Internacional: Educational Action Research – an  international journal, ROUTLEDGE; avaliadora externa da Inspecção Geral de Educação do Ministério da  Educação; Coordenadora dos Mestrados em Ciências da Educação da FPCEUP: “Linguagem, Comunicação e Educação Intercultural” e  “Educação e Diversidade Cultural”

Zoia Ribeiro Prestes (UFF)

Graduada em Pedagogia e Psicologia Pré-Escolar pela Universidade Estatal de Pedagogia de Moscou, Mestre em Pedagogia e Psicologia Pré-Escolar pela Universidade Estatal de Pedagogia de Moscou, Doutora em Educação pela Universidade de Brasília. Atualmente é professora colaboradora do curso de Pós-graduação em Psicologia do UniCEUB e professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense.

 

Adriana Marcondes Machado (USP)

Professora do Instituto de Psicologia da USP. Membro do Serviço de Psicologia Escolar de 1986 a 2000. Mestre e doutora em Psicologia Social. Trabalha, principalmente, com os seguintes temas: psicologia escolar, pesquisa-intervenção, educação inclusiva, relação saúde-educação.

 

Dia 01/09 – Terça-Feira – 20:00
Atividade Cultural 1

Teatro do Oprimido com Armindo Pinto

Dia 02/09 – Quarta-Feira – 13:30
Mesa-Redonda 2
Abordagens críticas da infância: olhares da psiquiatria, da fonoaudiologia e da educação.

Rossano Cabral Lima (IMS/UERJ)

Psiquiatra de crianças e adolescentes, mestre e doutor em Saúde Coletiva, professor do Instituto de Medicina Social da UERJ, autor do livro “Somos todos desatentos? O TDA/H e a construção de Bioidentidades” (Relume-Dumará, 2005).

 

Ana Paula Berberian (Universidade Tuiuti do Paraná),

Fonoaudióloga. Pós – doutora em Linguística pela Universidade Federal do Paraná; Doutora em História PUC SP; Mestre em Distúrbios da Comunicação PUCSP. Professora do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação
e de Graduação em Fonoaudiologia da Universidade Tuiuti do Paraná

Alain Goussot (Universidade de Bologna)

Docente de metodologia educativa e de pedagogia intercultural, atualmente é Professor de Pedagogia e Didática Especial na Faculdade de Psicologia de Cesena da Universidade de Bolonha. Colabora em projetos de cooperação internacional no âmbito da infância e adolescência e em projetos de desinstitucionalização de menores em situação de abandono e/ou deficiência em países de idioma francês e do leste da Europa. Faz parte da Sociedade Italiana de Pedagogia Especial, é membro do comitê científico do “Institut Pierre Janet”(Centro de pesquisa sobre o comportamento Humano) de Paris, colaborador científico da Fundação “Françoise Minkowska”de psicologia transcultural (Paris), e membro do comitê científico do movimento antimedicalização italiano “Giù le mani dai bambini”. É autor de artigos e publicações sobre o tema da pedagogia, sobre a dimensão cultural da comunicação e da mediação intercultural.

Dia 02/09 – Quarta-Feira – 17:00
Conferência 2
Verdades e Mitos sobre os filhos do Crack: considerações da neurociência

Carl Hart (Universidade de Columbia)

Professor associado na Universidade de Columbia, Estados Unidos, com cerca de 100 artigos científicos na área de neuropsicofarmacologia. Seu recente livro, “Um preço muito alto: a jornada de um neurocientista que desafia nossa visão sobre as drogas” (publicado no Brasil pela Editora Zahar), foi o vencedor em 2014 do PEN / E.O Wilson Prêmio Literário de Ciência Escrita. Nomeado pela Fast Company como uma das pessoas mais criativas de 2014.

 

Dia 02/09 – Quarta-Feira – 20:00
Cultural 2

Intervenção com Alex Frechette e Samuca Santos

03/09 – Quinta-Feira – 13:30
Mesa-redonda 3
Movimentos Antimanicomial, Antiproibicionista e pela Desmedicalização: linhas que se entrecruzam e fazem transver

Marcos Garcia (UFSCAR)

Possui graduação em Psicologia, mestrado e doutorado em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo. É professor do Departamento de Ciências Humanas e Educação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) – Campus Sorocaba, professor permanente do Programa de Mestrado em Educação da UFSCar – campus Sorocaba; coordenador do Grupo de Pesquisa Saúde Mental e Sociedade; (UFSCAR) e integrante do Núcleo de Estudos para a Prevenção da Aids (NEPAIDS/USP) e do Grupo de Pesquisa Educação, Comunidade e Movimentos Sociais (GECOMS/UFSCar); coordenador do Centro de Referência em Educação na Atenção ao Usuário de Drogas da região de Sorocaba (CRR-UFSCar-Sorocaba); coordenador do Núcleo Sorocaba da Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO).

Antonio Nery Filho (UFBA)

Médico. Psiquiatra. Doutor em Sociologia e Ciências Sociais (França). Professor Associado 4 da Faculdade de Medicina da UFBA. Fundador e Coordenador do Centro de Estudos e Terapia do Abuso de Drogas -CETAD/UFBA (1985-2014). Ex-Conselheiro do CRM-BA. Consultor da Secretaria da Saúde do Município de Salvador e da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Estado da Bahia.

 

Sandra Caponi (UFSC)

Professora Titular do Departamento de Sociologia e Ciência Politica da da Universidade Federal de Santa Catarina. Possui graduação em Filosofia – Universidad Nacional de Rosário (Argentina), mestrado em Lógica e Filosofia da Ciência pela UNICAMP, doutorado em Lógica e Filosofia da Ciência pela UNICAMP, realizou um primeiro Pós-doutorado na Universidade de Picardie (França) em 2000, e um Pós-doutorado Sênior na EHESS (Paris- França) em 2011. Desenvolve seu trabalho na área de epistemologia e história das ciências biomédicas e na área de Bioética. É professora permanente do Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da mesma Instituição, é colaboradora do Programa de Mestrado profissional em Saúde Mental. Coordena o grupo de pesquisa cadastrado no CNPq, “Sociologia, Filosofia e história das ciências da saúde” e participa do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Profissões e Instituições-NEPPI. Conta com diversas teses de doutorado e dissertações de mestrado orientadas e defendidas. No ano de 2013 o livro “Loucos e Degenerados: uma genealogia da psiquiatria ampliada” foi finalista do 55º Prêmio Jabuti na área de Psicologia e Psicanálise.

 

Luis Fernando Tofoli (UNICAMP)

Possui graduação em Medicina, residência médica em Psiquiatria e doutorado em Medicina (Psiquiatria) pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor-doutor do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). É co-fundador do Laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (LEIPSI) e membro efetivo dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Médicas (Concentração em Saúde Mental) e em Clínica Médica (Concentração em Ensino em Saúde) da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP e membro colaborador do Programa de Pós-Gradução em Saúde da Família da Universidade Federal do Ceará.Tem experiência nas áreas de Saúde Mental e Psiquiatria, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde mental em atenção primária, políticas públicas de saúde mental, substâncias psicoativas, ayahuasca e sintomas físicos inexplicáveis (desconforto somático).

03/09 – Quinta-Feira – 17:00
Mesa-redonda 4
Medicalização nas mídias: expandindo o debate

 

Luana Lobo (Maria Farinha Filmes)

 É uma produtora audiovisual que realiza documentários, séries e outras formas de mídia sobre temas e histórias que versam sobre questões sociais relevantes. Dentre suas principais produções, estão os documentários “Muito além do peso”, “Criança, a alma do negócio” e “Tarja Branca”.

Rafucko (Midiativista)

Rafael Puetter, mais conhecido como Rafucko, é roteirista, videomaker e artivista. Ganhou destaque na internet fazendo vídeos de sátira política. Em seu trabalho, trata de temas que vão desde a homofobia até as remoções involuntárias para os grandes eventos, passando pelas questões globais do autoritarismo da Polícia Militar e da cobertura tendenciosa da mídia. Em 2013, foi listado pela revista Galileu e pelo portal youPix como umas das 25 pessoas mais influentes na internet brasileira.

Lygia Viégas (Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade)

Psicologa, Mestre e Doutora pela USP. Docente Faced-UFBA. Membro do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade e integrante do grupo de moderadores da Fanpage do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade.

 

03/09 – Quinta-Feira – 20:00
Lançamento de Livros e Encontro de Blogueiros

 

04/09 – Sexta-Feira – 8:30

Reunião Ampliada do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade

Com a presença dos Núcleos e do Ministério da Saúde

 

 

04/09 – Sexta-Feira – 13:00

Intevenção “Topografias do Feminino”

Com Eline Gomes e Liria Morays

No hall do evento

04/09 – Sexta-Feira – 13:30
Mesa-redonda 5
Medicalização e Movimentos Sociais: onde há opressão há resistência.

Célia Chaves (Comitê Nacional para Promoção do Uso Racional de Medicamentos – CNPPURM)

Farmacêutica Industrial e Mestre em Farmácia – UFRGS; Doutora em Farmacologia – USP, Professora Adjunta da UFRGS aposentada,
Diretora da Federação Nacional dos Farmacêuticos – FENAFAR e Membro do Comitê Nacional para Promoção do Uso Racional de Medicamentos – CNPPURM

 

Leonardo Peçanha (Grupo Transrevolução)

 Mestre em Ciências da Atividade Física pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Senso da Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO) e Especialista em Gênero e Sexualidade pelo Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (IMS/UERJ). Possui graduação em Licenciatura Plena e Bacharel em Educação Física pelo Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM). Coordenador do Núcleo de Pesquisas do Instituto Brasileiro de Transmasculinidades (IBRAT) e Diretor do Coletivo Grupo TransRevolução/RJ. Desenvolve pesquisas com as temáticas de transgeneriedade, sexualidade, gênero e violência.

 

Maria Lucia Silva (Instituto AMMA Psique e Negritude)

Psicóloga, clínica psicanalítica de jovens e adultos. Especialista em trabalhos de grupos com recorte de gênero e raça. Diretora-presidente do Instituto AMMA Psique e Negritude; Coordenadora Geral da Articulação Nacional de Psicólogas(os) Negras(os) e Pesquisadores em Subjetividade e Relações Raciais e Empreendedora Social da Ashoka.

 

Rui Harayama (Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade)

Antropólogo, mestre em Antropologia da Ciência e da Tecnologia com pesquisas na área da saúde e ética em pesquisa clínica. Membro do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade. Membro da atual Secretaria Executiva Nacional do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade.

 

Dia 04/09 – Sexta-Feira – 16:30

Mesa de Encerramento

 

Dia 04/09 – Sexta-Feira – 17:00
Cultural 3

Teatro Griô